quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Os alimentos e os dentes

Existem alguns alimentos com efeito positivo sobre os dentes, seja por os fortalecer, ou simplesmente por contribuir para a manutenção da sua cor natural. São vários os alimentos deste gênero. Dentro deste grupo podemos encontrar:

Leite
O leite e seus derivados são importante fonte de cálcio, não só para os ossos, mas também para os dentes, razão pela qual a sua ingestão ajuda a fortalecer os dentes, contribuindo para contrariar o efeito da erosão, e da desmineralização a que os dentes estão constantemente sujeitos. Cuidado, no entanto com a ingestão de derivados como queijo, e iogurtes açucarados pelo elevado teor de hidratos de carbono e açucares.



Fibras
A ingestão de alimentos como cereais ou maçã implica um esforço extra na mastigação o que contribuí para a manutenção da higiene oral, uma vez que estimula a salivação levando a uma auto limpeza dos dentes bem como uma remineralização dos mesmos.

Chá preto e verde
Apesar de o consumo de chá não ser recomendável, quando em excesso, estes dois tipos de chá ajudam, pelo seu potencial anti-oxidante a aumentar as defesas orais, e a combater a erosão ácida.

Morangos
O consumo de morangos ajuda a manter a cor branca dos dentes, uma vez que pela ação das suas grainhas executa uma espécie de “esfoliação” das manchas externas dos dentes, removendo alguma da cor amarela dos mesmos. No entanto a sua ingestão em demasia é desaconselhada, uma vez que em virtude da sua cor vermelha pode pigmentar os dentes, se consumido em demasia.


Goiaba
Rica em vitamina C, a goiaba ajuda não só à formação de colágeno, mas também à cicatrização dos tecidos gengivais.

Alimentos com efeito negativo sobre os dentes. Por outro lado existem alimentos com efeitos nefastos sobre os dentes. A ingestão em excesso destes alimentos deverá ser evitada a todos os custos, não querendo isto dizer que deva ser abolida da dieta, mas a sua ingestão deverá ser controlada. Entre estes alimentos encontramos:

Frutas cítricas
A ingestão de frutas cítricas é uma ótima forma de obter vitamina C, excelente aliada contra as gripes, por exemplo, mas em virtude de serem alimentos extremamente ácidos levam a uma erosão ácida dos dentes, resultando na perda de superfície dentária sã. Esta situação é mais grave ainda se imediatamente a seguir à sua ingestão se escovarem os dentes, uma vez que potencializa a erosão dos mesmos.


Açúcar
A ingestão de açúcares como se sabe é o inimigo número um dos dentes, uma vez que potencializa o aparecimento de cáries dentárias, já que se deposita sobre a superfície dos dentes, levando ao aparecimento das bactérias responsáveis pelo processo criogênico. A ingestão em excesso deve ser controlada, e após o consumo de alimentos ricos em açúcar, deverá ser feita a higienização dos dentes.



Soja
Assim como qualquer alimento demasiado pigmentado, a soja pode provocar colorações desagradáveis nos dentes, levando à alteração da cor dos mesmos.

Café
Extremamente apreciado entre os portugueses, o café é um dos alimentos, neste caso bebida, que mais pigmenta os dentes levando a uma coloração castanha dos mesmos, e contribuí também para o aparecimento de tártaro gengival.

Bebidas gasosas, refrigerantes e vinho tinto
Este tipo de bebidas, sobretudo os refrigerantes, em virtude do seu pH ácido, levam a acentuada erosão dos dentes, e conseqüentemente à perda de superfície dentária. Para além deste fator contém elementos corantes que pigmentam os dentes.



VINHO TINTO X DENTES BRANCOS


A ingestão excessiva de vinho - principalmente de tinto, por conter uma quantidade maior de pigmentos em relação aos outros tipos - pode provocar alguns danos aos dentes e à estrutura bucal. Os principais problemas ocasionados pelo consumo de vinho são a formação de indutos (ou seja, manchas externas aos dentes geradas pelos pigmentos da bebida), a diminuição do volume de saliva (causada pelo álcool, que provoca uma maior retenção de resíduos), e, eventualmente, alguns processos decorrentes da acidez, que podem gerar sensibilidade.


O álcool e a placa
A presença do álcool na boca age diretamente sobre as glândulas salivares e provoca uma diminuição - que varia de 20% a 40% - no volume de saliva, o que faz com que ocorra uma maior deposição de tártaro e resíduos na superfície dos dentes. Eventualmente, isso pode se tornar placa bacteriana e causar alteração na percepção dos sabores e dos gostos, aspectos que são muito importantes para um enófilo, tal proteção é o "efeito tampão", pois  a saliva funciona como uma proteção natural para as estruturas dentais banhadas por ela.

Ter higiene é fundamental
Os problemas bucais são ocasionados pela não-observação dos preceitos de higiene, que são obrigatórios para todos os adultos, sejam eles bebedores de vinho ou não. É preciso atentar para os mecanismos de higiene, caso a pessoa queira desfrutar de uma boa bebida e ter um paladar saudável. Assim, para alcançar tais resultados e prevenir a boca de problemas como esses, a limpeza dental deve ser seguida à risca.