terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Pesquisadores que Contribuíram para a Odontologia - Per-Ingvar Brånemark


Per-Ingvar Brånemark (3 de maio de 1929) é um médico ortopedista sueco que iniciou estudos à frente de um grupo de pesquisadores da Universidade de Gotemburgo em 1965 que culminaram com a descoberta da Osseointegração. Na época, Brånemark estava interessado por pesquisa e protocolos de procedimentos cirúrgicos que resolvessem deficiências físico-funcionais de seres humanos.

No inicio dos anos de 1960, Brånemark investigava a microcirculação sangüínea em tíbias de coelho com ajuda de uma câmara de observação em titânio, quando percebeu que o metal e o osso se integravam perfeitamente, sem haver rejeição. Com base nesta observação, desenvolveu cilindros personalizados para serem implantados na tíbia de coelhos e cães.  Nascia assim a revolucionária técnica que permite a implantação de pinos de titânio no corpo humano como base para próteses dentárias e ortopédicas. A descoberta tornou o médico sueco uma lenda viva no mundo do implante e conquistou o mundo. A implantodontia moderna é toda baseada nos ensinamentos da descoberta de Brånemark.
Porque o Titânio?
Brånemark optou pelo uso do titânio. O metal era utilizado na Rússia na indústria nuclear e fora indicado por um cirurgião ortopédico, Hans Emneus, em Lund, que estudava diferentes metais empregados para prótese de articulação do quadril. Brånemark conseguiu uma amostra por meio de Avesta Jernverk, e daí em diante passou a utilizar o titânio puro na confecção da câmara de observação. Descoberto em 1791, esse metal levou mais de 100 anos para ser isolado puro e sua produção comercial exigiu o desenvolvimento de novas técnicas de torneamento para conseguir uma micro superfície aceitável pelo tecido para haver integração. O titânio é resistente ao ataque químico na sua forma sólida, sendo muito mais resistente à corrosão do que o aço inoxidável. Devido a essas propriedades, o titânio puro transformou-se no metal ideal para providenciar componentes osseointegráveis.


Ao inserir a câmara de observação de titânio na tíbia de coelhos, Brånemark utilizou um procedimento cirúrgico muito delicado para provocar a menor lesão possível aos tecidos. Ele acreditava que o osso possuía capacidade limitada de reparação e deveria ser manipulado com o mesmo cuidado que outros tecidos delicados do organismo, como olhos e cérebro. Ao final do experimento, depois de alguns meses, Brånemark demonstrou a micro-circulação como uma função interativa entre osso e medula. Por outro lado, notou com pesar que a câmara colocada na tíbia do coelho acabou tornando-se parte integral da estrutura óssea e que não poderia ser reutilizada. Portanto, gerando custos adicionais para a confecção de outras câmaras para futuras pesquisas.

Esta pesquisa com microcirculação em humanos forneceu dois importantes dados sobre o titânio: 1) o metal se integra ao tecido vivo e era reconhecido por este como parte de sua estrutura; e 2) era bem aceito pelos tecidos moles, não provocando inflamação que poderia levar à rejeição.

O primeiro paciente

 

Ao visitar o seu cirurgião-dentista, Gösta Larsson, que sofria de problemas dentais há muito tempo, ouviu falar da pesquisa desenvolvida na Universidade de Gotemburgo e decidiu candidatar-se como voluntário a participar dos estudos iniciais. Ele perdeu todos os dentes da mandíbula aos 34 anos, apresentava fissura palatina, maxila e queixo deformados, sofria constantemente com dores, tinha consideráveis dificuldades para se alimentar e falar. Até saber da pesquisa, estava resignado a viver com esses problemas. Embora os procedimentos recomendados por Brånemark e seus colegas não fossem aceitos por muitos cirurgiões orais e ortopédicos na época, o tratamento de Gösta Larsson foi o primeiro realizado e com sucesso. Foram colocados quatro implantes em sua mandíbula que serviram para conexão de uma prótese fixa. Após o procedimento, Larsson passou a mastigar, comer, falar e teve uma vida saudável até 2006, ano de sua morte.



 Para difundir a técnica de osseointegração, foram criados desde 1989 nove centros Brånemark Osseointegration Centers espalhados pelo mundo. No Brasil, há dois centros: o Branemark Osseointegration Center - São Paulo, inaugurado em 1995 e o Branemark Osseointegration Center - Goiânia, a clínica se filiou à rede em 2007, mas trabalha a terapia de osseointegração desde 1997.
O Brasil conta também com uma associação P-I Brånemark Institute Bauru, presidida pelo próprio Dr. Branemark que se iguala à matriz em Gothenburg, como referência mundial para a pesquisa e o desenvolvimento da Osseointegração aplicada à reabilitação extra-oral, intra-oral e de amputados.
Reconhecimento
           
Indicado cinco vezes ao Prêmio Nobel de Medicina. Já foi premiado em quase todos os países do mundo. Hoje, praticamente todos os procedimentos implantodônticos realizados no mundo seguem o protocolo Brånemark. Estima-se que todo ano mais de 10 milhões de pessoas são reabilitadas ao redor do mundo, 150 países. Conseguiu cidadania brasileira e, em novembro de 2004, ganhou o titulo de cidadão bauruerense, concedido pela Câmara do município. Homenageado na Celebração Mundial dos 40 anos da Osseointegração, realizado em São Paulo.