domingo, 31 de outubro de 2010

Pesquisadores que Contribuíram para a Odontologia - Horace Wells

Horace Wells
(Dentista estadunidense )
1815 – 1848
Dentista estadunidense nascido em Hartford, Vermont, USA, cursou Odontologia em Boston, quando graduado estabeleceu seu consultório em Hartford, Connecticut, com um sócio chamado William Thomas Green Morton, que ficou famoso pela utilização do éter como anestésico (1846). Wells começou a pesquisar as propriedades anestésicas do óxido nitroso após assistir a uma apresentação pública de circo.

O óxido nitroso era utilizado popularmente em shows e feiras por produzir o riso incontrolado, por isso era chamado “o gás do riso”. Enquanto Wells assistia à apresentação percebeu que um participante, sob a ação do óxido nitroso, sofrera um ferimento extenso na perna, mas não demonstrara qualquer sinal de dor. Logo depois, o dentista convidou Gardner Colton, o empresário do circo, para realizar uma experiência em seu consultório. No dia seguinte, em 11 de dezembro (1844), pediu a seu colega Riggs, que extraísse um de seus próprios dentes, para mostrar a eficiência do óxido nitroso como anestésico, após inalar o gás. Depois ele experimentou outros gases para obter efeitos semelhantes, inclusive o éter, porém decidiu-se pela pesquisa com o óxido nitroso. Aprendeu a preparar e administrar o protóxido de azoto, e com o seu uso, realizou com sucesso mais de 10 extrações dentárias indolores em seus clientes, na pequena cidade de Hartford.
Wells começou a utilizar o óxido nitroso em sua clínica com grande sucesso. Imagine que até então, todos os procedimentos odontológicos eram feitos a frio! Um dentista que tratasse os pacientes sem dor seria mesmo uma revolução. Durante um mês, Wells fez fama e dinheiro na cidade com suas práticas indolores. Dezenas de clientes bateram à sua porta.

Então, Wells realizou uma demonstração científica diante de um grupo de estudantes de medicina, em Boston (1845) no Massachusetts General Hospital. Ocorreu que o gás não fez efeito no paciente, um aluno da Universidade, durante a extração dentária e Horace Wells foi ridicularizado e saiu dali escorraçado por entre insultos e chacotas. Alguns historiadores da medicina acham que ele utilizou menos gás do que o necessário, mas outros afirmam que o experimento teria sido sabotado pelos próprios médicos que não queriam admitir o mérito do dentista.

Já William Morton, seu colega, persistiria na idéia - só que, aconselhado por seu ex-professor de química Charles Thomas Jackson, substituiu o óxido nitroso pelo éter. O elemento era mais poderoso que o anterior e oferecia menos risco de causar asfixia. Morton utilizou-o com sucesso em animais, nos seus aprendizes e, não satisfeito, testou em si mesmo. Chegou também a realizar uma extração de dente.

Após este acontecimento, Horace Wells perdeu todo o seu prestígio na comunidade médica. Depois de sofrer sucessivas humilhações, difamação e falta de reconhecimento por sua descoberta, Horace Wells, falido, abandonou a odontologia e dedicou-se a ser vendedor durante os dois anos seguintes. Em 1847, mudou-se para Paris depois de que seu antigo sócio Morton realizasse uma exitosa demonstração dos efeitos da anestesia.
Um tempo após ter regressado aos Estados Unidos, Wells dedicou-se ao estudo do clorofórmio. Nessa época não se conheciam os efeitos de aspirar clorofórmio e éter. Em janeiro de 1848, Wells experimentou em si mesmo aspirando clorofórmio durante uma semana. Sua mente foi se deteriorando. Em um dia, em estado de delírio, saiu correndo à rua e lançou  ácido sulfúrico em duas prostitutas. Foi enviado ao famoso cárcere nova-iorquino de Tombs. À medida que os efeitos da droga foram passando, sua mente foi aclarando-se; já lúcido, se deu conta do que tinha feito. Depois se suicidou, cortando uma artéria da perna com uma navalha de barbear após ter inalado uma dose analgésica de clorofórmio para eliminar a dor.

Em seguida a Societé Medical de Paris reconheceu publicamente o mérito da sua descoberta. Tarde demais. Ele não estava mais vivo para desfrutar o reconhecimento.
Wells está enterrado no cemitério Cedar Hill em Hartford, Connecticut
Em 1864, de forma póstuma, a Associação Dental Americana reconheceu a Wells como o descobridor da anestesia moderna, e a Asocación Médica Americana fez o próprio em 1870.
Em Place dês États-Unis, Paris, foi erguido um monumento a sua memória.