sábado, 9 de outubro de 2010

Bruxismo


É um tipo de parafunção oclusal em que a pessoa tem o hábito de ranger ou apertar os dentes. É observada em pacientes de todas as idades e geralmente está relacionada ao alto nível de estresse.
TIPOS DE BRUXISMO
1)      CÊNTRICO (apertamento): ocorre normalmente em MIH (máxima intercuspidação habitual);
2)      EXCÊNTRICO (deslizamento): em posição excêntrica (fora da MIH);
3)      DIURNO: feito durante o dia, o apertamento é mais comum;
4)       NOTURNO: é feito durante a noite, sendo mais comum o deslizamento, mas pode ser misto;
5)      PRIMÁRIO: quando não há etiologia aparente;
6)      SECUNDÁRIO: quando a pessoa tem doenças neurológicas, psiquiátricas, faz uso de medicação que afete o sono (neurolípticos, anfetaminas), drogas (cocaína, álcool, cafeína), traumas contra a cabeça (tipo concussão cerebral).

SINAIS E SINTOMAS
  • Desgaste dental;
  • Sons noturnos;
  • Hipertrofia muscular (principalmente do masseter);
  • Dor e desconforto na ATM e músculos mastigatórios:
  • Os sintomas ocorrem geralmente ao despertar e à noite. Exemplo: dor de cabeça ao amanhecer pode estar relacionada ao bruxismo noturno.


FATORES DE RISCO
1)      EXÓGENOS / PERIFÉRICOS:
- Ansiedade / estresse;
- Hábitos parafuncionais;
- Interferências oclusais;
- Medicação (neurolópticos, anfetaminas, antidepressivos);
- Drogas (álcool, cocaína, cafeína).

2)      ENDÓGENOS / SISTÊMICOS:
- Genético (predisposição familiar);
- Neuroquímicos (deficiência de dopamina, nor-adrenalina, serotonina);
- Desordens Neurológicas (Parkinson, discinesia, desordens de comportamento do sono, hemorragia cerebral, concussão cerebral em acidentes de carro);
- Desordens Psiquiátricas (demência, retardamento, Síndrome de Tourette);

IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO PRECOCE E ACOMPANHAMENTO
O bruxismo transmite forças indevidas para todos os componentes do aparelho mastigatório: músculos, dentes, estruturas de suporte, articulação temporomandibular, resultando em grandes danos para estas estruturas. Apesar de a crianças apresentar muita resistência às desordens funcionais devido à sua grande capacidade de adaptação, essas desarmonias funcionais, no individuo jovem, se persistentes, podem resultar em condições de difícil solução no adulto. Além disso, estudos mostram um alto percentual de crianças e jovens com sinais e sintomas relacionados a esses hábitos que aumentam com a idade. Por essa razão, é de extrema importância o diagnostico precoce das parafunções, possibilitando preservar a integridade dos dentes e de todo aparelho mastigatório, antes que esse círculo vicioso possa resultar em danos permanentes na idade adulta.

PREVALÊNCIA DO BRUXISMO NOTURNO:
- ocorre em 10% dos adultos e 5% das crianças (bruxismo consciente);
- 80 – 90% da população apresenta algum sinal ou sintoma associado;
- os homens tendem a ter conseqüências mais graves (maior força muscular e maiores problemas de sono);
- em crianças é improvável que ocorra algum dano permanente, tendo menor freqüência após os 12 anos; sinais e sintomas de DTM associados ou não ao bruxismo podem estar relacionados ao crescimento e erupção dental, e tendem a melhorar por si só.

DIAGNÓSTICO DO BRUXISMO NOTURNO
- Anamnese, exame realizado através de perguntas com finalidade de obter informações sobre os sintomas, como ocorrência de dor, dificuldade de mastigação, sono irregular, ruídos noturnos.
- Exame clínico do padrão de desgaste oclusal (facetas lisas e brilhantes à bruxismo excêntrico noturno; trincas e rachaduras à apertamento diurno; lesões em forma de pires à apertamento + deslizamento; desgastes obtusos, presença de mobilidade dentária e restaurações fraturadas). Realizar palpação da articulação temporomandibular e musculatura; observar se o paciente tem uma abertura e fechamento normal da mandíbula.

TRATAMENTO
à Casos Leves: modificação de hábitos; dispositivos interoclusais; ajuste oclusal; odontologia restauradora; próteses.
à Casos Graves: benzodiazepínicos, avaliação do sono (Polissonografia).

DISPOSITIVOS INTEROCLUSAIS
São aparelhos rígidos de resina acrílica que recobrem os dentes de uma arcada, geralmente os superiores, que são construídos de forma a desprogramar a musculatura e induzir ao relaxamento muscular, reduzir a atividade muscular, diminuir a pressão sobre as estruturas da articulação, reposicionar a mandíbula e proteger os dentes so desgaste causado pelo atrito.