quinta-feira, 22 de julho de 2010

Odontologia x Fumo

Nas propagandas antigas de cigarro percebemos as artimanhas para levar as pessoas ao consumo do produto. O cigarro que emagrece... faz bem para os dentes... acalma os nervos...Essas propagandas, criadas entre os anos 1927 e 1954.
Houve um tempo em que o hábito de fumar, além de elegante, fazia bem à saúde. Essa era a pretensão de uma poderosa indústria tabagista que, em busca de consumidores, recrutou médicos, dentistas e até bebês a seu favor. O que hoje faria tremer qualquer associação de medicina!

"Mais médicos fumam Camel do que qualquer outro cigarro" 





A marca Camel distribuiu maços de cigarro na entrada de convenções médicas no ano de 1946. Ao final do evento, um grupo de pesquisadores perguntava qual marca de cigarro os médicos levavam no bolso. A resposta não podia ser outra: eram os mesmos maços recebidos antes. A "estatística" virou anúncio!




"Como seu dentista, eu recomendo Viceroys" 





Enquanto as causas de câncer bucal eram lentamente associadas ao fumo, o cigarro Viceroys exibia dentistas defendendo a marca. De acordo com estatísticas da empresa, mais de 38 mil dentistas aprovavam Viceroys. 


"Puxa, mamãe, você realmente gosta dos seus Marlboros" 





O uso de crianças na propaganda atingia principalmente o público feminino, e fazia parte dos esforços da indústria tabagista para ampliar a base de consumidores. Segundo a peça publicitária, o milagre dos cigarros Marlboro era não "empapuçar" seus usuários.


"20.679 médicos dizem que Lucky Strike irrita menos a garganta" 





O cigarro Lucky Strike se dizia capaz de proteger a garganta, e também buscou o apoio de pesquisas médicas. De acordo com a publicidade da marca, datada de 1930, mais de 20 mil médicos aprovavam Lucky Strike como sendo "o menos irritante" do mercado. 

Atualmente vemos as seguintes propagandas nos maços de cigarro:

Dia Mundial Sem Tabaco, criado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 1987, é uma data importante para a Odontologia no combate ao tabagismo, não só pelos prejuízos que o hábito traz para a saúde bucal e pelas já comprovadas relações entre boca e saúde integral, mas também porque o cirurgião-dentista, enquanto profissional de saúde, deve alertar para os perigos do que é a principal causa de morte evitável. Além disso, ele pode detectar precocemente casos de câncer bucal, que tem como principal fator de risco o fumo.
câncer bucal e o tabaco - O câncer bucal já fez, no Brasil, mais de 11 mil vítimas masculinas e cerca de quatro mil entre as mulheres. A doença abrange as neoplasias malignas de cavidade oral – mucosa bucal, gengivas, palato duro, língua, assoalho da boca e de lábio -, é mais frequente em pessoas brancas e tem maior incidência no lábio inferior que no superior. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer nas regiões da boca que não o lábio acomete principalmente tabagistas, e os riscos aumentam quando o fumante é também alcoólatra.
Entre outros malefícios provocados na cavidade oral, o fumo destrói as enzimas da saliva que combatem substâncias prejudiciais. Isto torna a saliva uma mistura corrosiva de compostos químicos do tabaco na boca, facilitando o surgimento de células cancerígenas. Quem fuma 30 cigarros/dia já pode apresentar lesão pré-maligna.

O que você encontra nos Blogs sobre o assunto: