terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Os Mitos do Tratamento de Canal


Tratamento de canal é considerado o procedimento dentário mais temido pelos pacientes.

Uma pesquisa realizada pela Associação Americana de Endodontistas revela que a maioria das pessoas possuem medo do tratamento endodôntico baseado no relato de outras pessoas e não deles próprios.

As informações imprecisas sobre o tratamento de canal também impede os pacientes de tomar uma decisão esclarecida a respeito do tratamento de seus dentes. Há muitos pacientes que preferem extrair os dentes, em vez de preservá-los com um tratamento de canal.

Veja alguns dos principais mitos sobre o tratamento de canal:

Mito 1: Tratamento de canal é doloroso

O tratamento de canal é quase sempre executado porque um dente está causando dor de uma condição irreversível. Pulpite, uma polpa infectada, dentes quebrados, ou um nervo morrendo lentamente são os motivos mais comuns para o tratamento de canal. O tratamento de canal é usado para aliviar a dor. A maioria das pessoas que fizeram o tratamento de canal admitem que não sentiram qualquer dor durante a consulta e se sentiram melhor depois.

Mito 2: Completar um tratamento de canal requer várias consultas

O tratamento de canal pode ser preenchido em uma ou duas consultas. Fatores que determinam o número de consultas necessárias para completar um tratamento de canal incluem: - A extensão da infecção, - A dificuldade do preparo do  canal radicular, - Se é necessário encaminhar para um especialista, conhecido como endodontista.


Mito 3: O tratamento de canal causa a doença

A idéia de que as bactérias presas dentro de um dente endodonticamente tratado vai causar doenças, tais como doença cardíaca, doença renal, ou artrite, resulta da pesquisa realizada pelo Dr. Weston Price (1910-1930) de quase 100 anos atrás. Tentativas recentes para confirmar a pesquisa do Dr. Price foram vencidas,  comprovando que o tratamento de canal radicular não causa doenças.

As bactérias podem ser encontradas na boca a qualquer momento. Mesmo os dentes livres de cárie e doença periodontal apresentam bactérias.

Mito 4: O dente precisa estar doendo para ser necessário o tratamento de canal

Dentes que necessitam de tratamento de canal nem sempre apresentam sintomatologia dolorosa. Na verdade, os dentes que já estão mortos podem exigir o tratamento de canal para evitar a infecção.

Geralmente é durante uma consulta de rotina que o dentista irá descobrir um dente que o nervo morreu. Os testes utilizados para confirmar um dente desvitalizado incluem: teste de temperatura, teste de percussão, usando uma máquina de vitalidade pulpar, avaliando radiografias.

Mito 5: Os benefícios do tratamento de canal não duram muito tempo

Este mito se originou após alguns pacientes terem seus dentes fraturados após a realização do tratamento de canal. A verdade é que o dente se torna mais frágil devido a desvitalização e procedimentos realizados no tratamento decanal como o acesso e o desgaste das parede no interior do canal para a realização da limpeza e modelagem.

Estes dentes merecem uma maior atenção quanto ao tratamento restaurador após o tratamento de canal, pois as forças mastigatórias podem levar a fraturas. Tecnicamente não é o tratamento de canal que falhou e sim o tratamento restaurador.Para evitar esta falha muitas vezes se faz necessário colocação de coroas totais ou onlays nestes dentes, aumentando a resistência a fraturas.